Berço de grandes músicos, Minas Gerais é conhecida, mundialmente, por sua forte criação musical. Movimentos como o Clube da Esquina contribuíram para a evolução de uma linguagem característica, tanto na música vocal, quanto instrumental.

A partir dos anos 80, o estado foi invadido por uma grande diversidade de estilos e tendências. Desde a Soul Music, o Rap, a Afro Music, o Rock e Pop Rock, o Metal e o Regionalismo de todas as partes de Minas, além de fortes tendências caipiras e sertanejas.

Na música instrumental, a diversidade é ainda maior. Desde o choro até a música erudita, passando pelo jazz e a tão aclamada Música Instrumental Mineira, a expansão de nossa arte adquire uma dimensão que nos coloca em destaque no cenário mundial da criação musical.

Temos movimentos fantásticos que sobreviveram ao tempo e encontram-se, ainda, presentes em nosso dia-a-dia. Músicos como Ary Barroso, Ataulfo Alves, Geraldo Pereira, Goiá, Abel Ferreira e outros, ainda presentes em nossa cena musical com intensa produção, tais como Mestre Conga, Gervásio Horta e Waldir Silva, fazem parte da história da música mineira, por excelência. 

Tudo isso nos leva a crer na importância da pesquisa, organização e catalogação de tendências, estilos e gêneros musicais, desenvolvidas sem preconceito estilístico.

Não queremos que nossa arte fonográfica e cultura musical se convertam, com o passar dos anos, em "Papiros do Mar Morto", desprezados ao acaso e considerados fora do contexto histórico.

Estes são os motivos que nos conduzem ao presente trabalho. 

Aproveite! A casa é sua. E sinta-se à vontade para contribuir.